terça-feira, 7 de junho de 2011

Menina à Janela


Silêncio Azul

Dentro dos dias em que faço das horas uma espera de ti
vou encontrando os sinais nas palavras que escreves
e fico sempre um pouco mais pobre com a tua ausência.
Abraço o sonho, enrosco-me no desejo...
e deixo a esperança pintar o meu olhar de céu...
Na janela que recuso fechar, os sons da alvorada
encerram as promessas seladas em sorrisos...
Ando pelos dias com o sabor da tua imagem
fazendo de todas as miragens a tua presença
e sinto-me sempre amputada de um pouco de mim.
Não sei quem és, não sei onde encontrar-te.
Espero, espero sempre que um qualquer dia venhas
ao meu encontro de coração limpo e olhos felizes,
sem as dores que te atormentam e te corrompem.
E possas então deixar que o silêncio se faça entre nós, 
prazer único dos dias em que os sentidos estão despertos.
 
 José Carlos Alves

1 comentário:

  1. AMO ESTA MENINA À JANELA! SE,SALVADOR DALÍ A VISSE
    FICAVA COM INVEJA!

    ResponderEliminar